COMARCA DE PATROCÍNIO/MG
EDITAL DE CORREIÇÃO ORDINÁRIA GERAL

A Juíza de Direito Elisa Marco Antonio, Diretora do Foro e Corregedora dos Cartórios Extrajudiciais da Comarca de Patrocínio, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais e nos termos do inciso II do artigo 30 da Lei Complementar nº 59, de 18.01.2001 e suas alterações, e artigo 34 e § 1º do artigo 26 do Provimento da Corregedoria Geral de Justiça nº 355, de 18.04.2018, por este EDITAL, faz saber que a CORREIÇÃO ORDINÁRIA GERAL nos serviços do foro judicial, nas unidades jurisdicionais do Sistema dos Juizados Especiais, nos serviços notariais e de registro, nas atividades da justiça de paz, da polícia judiciária e dos Presídios da Comarca de Patrocínio, será instalada em audiência pública designada para o dia 18 de fevereiro de 2019, a partir das 13 horas, no Auditório do Tribunal do Júri do Fórum Juscelino Kubitschek de Oliveira – Avenida João Alves do Nascimento, 1508, Centro Administrativo, Patrocínio MG.

Para a audiência pública de instalação da Correição Ordinária Geral da Comarca de Patrocínio ficam convidados os Juízes de Direito, Promotores de Justiça, Defensores Públicos, Delegados de Polícia, o Comandante do 46º BPM, Presidente da 65ª Subseção da OAB, Advogados, Oficiais de Registro, Tabeliães e seus prepostos, servidores judiciais, demais autoridades e partes interessadas que, na audiência inaugural e no curso dos trabalhos correicionais, poderão apresentar denúncias, reclamações ou sugestões a respeito da execução dos trabalhos judiciários em geral e das atividades afetas aos Tabelionatos de Notas e de Protesto de Títulos e Registro Civil das Pessoas Naturais, Civil das Pessoas Jurídicas, Imóveis, e Títulos e Documentos da Comarca de Patrocínio (Patrocínio, Guimarânia, Cruzeiro da Fortaleza e Serra do Salitre).

Para conhecimento geral, o presente Edital receberá ampla divulgação. Dado e passado nesta cidade e Comarca de Patrocínio, aos 12 de fevereiro de 2019. Eu, Valdir Ferreira das Neves, secretário designado para os trabalhos da Correição Ordinária Geral/2018, o escrevi. Elisa Marco Antonio, Juíza de Direito Diretora do Foro e Corregedora dos Cartórios Extrajudiciais da Comarca de Patrocínio.

 

 

PERÍODO DE INSCRIÇÕES: 28/01/2019 A 13/02/2019

LOCAL DAS INSCRIÇÕES: SALA DA ADMINISTRAÇÃO DO FÓRUM DE PATROCÍNIO

HORÁRIO DE INSCRIÇÕES: 08:00 ÁS 10:00 e de 12:00 ÀS 18:00 HORAS

REQUISITOS:   SER ESTUDANTE DO CURSO DE DIREITO DO UNICERP e

                           ESTAR CURSANDO DO 1º (primeiro) AO 3º (terceiro) PERÍODO

VAGAS:   QUADRO DE RESERVA

VALOR DA BOLSA ESTAGIO: R$540,00 por mês (pelo Município de Patrocínio)

CARGA HORÁRIA DO ESTÁGIO: 04 HORAS DIÁRIAS

DATA DA PROVA: 17/02/2019 (domingo)

HORÁRIO DA PROVA: 08:30 HORAS

LOCAL DA PROVA: COLÉGIO PROFESSOR OLÍMPIO DOS SANTOS

MAIS INFORMAÇÕES: (34) 3839-9700

CLIQUE AQUI E LEIA O EDITAL

 

Imagem relacionada

Estão abertas as inscrições da seleção pública de estagiários da comarca de Patrocínio até o dia 12 de setembro de 2018, na administração do fórum da comarca, localizado na Av. João Alves do Nascimento, 1508, centro.

A prova será realizada no dia 16 de setembro de 2018, das 08h30 às 11h30, no Colégio Municipal Professor Olímpio dos Santos, localizado na Av. José Maria de Alkimim, 398, centro.

Mais detalhes no edital 07/2018.

 

projeto monitora logoO Conselho Comunitário de Segurança Preventiva de Patrocínio (CCSPP), preocupado em melhorar a segurança para os cidadãos patrocinenses, tem trabalhado pesado em ações para atingir esse objetivo. O grande projeto do Conselho está finalmente sendo colocado em prática: o videomonitoramento, chamado de PROJETO MONITORA.

O projeto garante que as pessoas consigam instalar câmeras próximas às suas residências ou comércio e compartilhem as imagens com a Polícia Militar, com a Polícia Civil, Bombeiros Militar ou com um grupo de moradores próximos.

As imagens das câmeras podem ser acessadas via internet de qualquer lugar pelo computador ou pelo celular e os usuários do grupo possuem um chat exclusivo para trocarem informações. Há também um botão de pânico que avisa aos demais usuários do grupo e vizinhos em caso de emergência e o armazenamento das imagens é na nuvem por até 7 (sete) dias.

A Polícia Militar terá na sua Sala de Operações em Patrocínio um telão de onde poderá acessar todas as câmeras se necessário para conseguir esclarecer crimes ou mesmo tentar prender criminosos em flagrante.

Com esse modelo o CCSPP espera que a cobertura de vídeo monitoramento na Cidade alcance 400 câmeras em funcionamento na Cidade de Patrocínio no período de 2 anos.

BAIXO CUSTO

O diferencial desse modelo de sistema é que o custo é bem mais baixo. O preço baixo e essa liberdade para que as pessoas se organizem e ajam para melhorar a segurança do local onde vivem e trabalham é que garante o crescimento do sistema muito mais rapidamente. O valor é muito acessível: R$ 49,90 ao mês, sendo necessário formar um grupo de cinco vizinhos para colocar uma câmera.

Segundo o Capitão Herbert da Polícia Militar em Patos de Minas, a Polícia Militar está trabalhando com empresas do setor na construção de um botão de pânico integrado às câmeras que, quando apertado, irá mostrar a câmera próxima em tempo real na Sala de operações da Polícia Militar garantindo que seja possível ver a cena de um crime e as câmeras próximas de forma imediata. Essa melhoria no sistema já está em fase de execução e tem previsão de que os primeiros testes com o botão de pânico sejam feitos até o mês setembro, demonstrando que o sistema é capaz de acompanhar a evolução da tecnologia e estará em constante evolução.

A Polícia Militar já confirmou que pretende expandir o projeto para Patos de Minas e, depois, para todo Alto Paranaíba.

Para demonstrar o sistema em funcionamento, o CCSPP de Patrocínio instalou câmeras no Parque de Exposições da Cidade durante a Expopatrô e, apenas nesse período, deixará as câmeras públicas na internet para que qualquer pessoa consiga vê-las. Para ver as câmeras funcionando, basta acessar a página monitora.ccspp.org.br.

O presidente do Conselho de Segurança Valdir Neves destaca que essa plataforma adquirida e gerenciada diretamente pelo Conselho de Segurança permite acompanhar toda a evolução da tecnologia mundial nesse seguimento por permitir constantes atualizações, como é o caso do novo botão de pânico que vem por ai. Essa importante característica diminui consideravelmente a possibilidade do sistema se tornar obsoleto com poucos anos de uso como se observa com algumas outras opções que só comportam atualização se novos investimento em equipamentos forem feitos.

Valdir Neves também informou que a partir do dia 09/07/2018 as câmeras já começam a ser instaladas. Disse que o início se dará pelas principais entradas e saídas de Patrocínio com o objetivo de implantar o mais rápido possível o cerco eletrônico da cidade, já que as câmeras que serão usadas para isso, além de filmar e fotografar os veículos, farão a leitura das placas e, automaticamente, os dados serão cruzados com o banco de dados oficial de modo que se um veículo com restrição passar pelas barreiras o sistema emitirá um alerta que possibilitará uma melhor ação de todas as polícias.

Mais informações ligue (34) 3831-6264

Abaixo, mais detalhes:

Folder Monitora-1 oook 1080

Folder Monitora-2 oook 1080

 

DiretoraForo
A magistrada fica no cargo por dois anos sucedendo o Dr. Pedro Begatti

O Foro da Comarca de Patrocínio está sob nova direção. Assumiu o cargo nesta quinta-feira (07/06) a Dra. Elisa Marco Antonio, titular da Unidade Jurisdicional do Juizado Especial.

A Portaria designando a juíza Diretora do Foro é a de número 5.517/CGJ/2018. O mandato da Dra. Elisa é de dois anos.

A magistrada cuidará das questões administrativas do Fórum local, além da fiscalização dos cartórios extra-judiciais.

Dra. Elisa Marco Antonio substitui no cargo o juiz Dr. Pedro Marcos Begatti.


(André Luiz Costa / Comunicação-CCSPP)

 

 

Reuniao09052018 ooook
Aos presentes à reunião, delegado e inspetor relatam necessidade de mais policiais e de maior agilidade no reparo das viaturas

O Conselho Comunitário de Segurança Preventiva de Patrocínio – CCSPP, realizou ontem (09/05) à noite, uma reunião para ouvir a Polícia Civil de Patrocínio.

O objetivo da reunião foi verificar as reais dificuldades que tem passado a Polícia Civil na questão da falta de pessoal para que o CCSPP possa estar preparado para pleitear junto às autoridades do Estado a designação de novos policiais civis para o município.

O Delegado de Polícia Dr. Caio e o Inspetor Rodolfo participaram da reunião e fizeram uma exposição das dificuldades que a falta de policiais tem gerado no dia-a-dia da Polícia Civil de Patrocínio com relação à condução das investigações dos crimes registrados e da importância da sociedade se unir para pedir ao governo estadual a designação de novos policiais para o município.

O delegado também falou da dificuldade na realização de manutenção nas viaturas policiais uma vez que o processo para que o Estado autorize tais consertos é demorado por causa da necessidade de se cumprir uma série de exigências legais até chegar ao ponto de autorizar a realização do serviço — o que também vai impactar na realização dos trabalhos policiais.

Ao final da reunião o CCSPP designou dois de seus membros para comparecer à Unidade Policial com o objetivo de proceder ao levantamento das viaturas que precisam de reparos e autorizar a realização dos respectivos orçamentos para estes consertos à fim de buscar recursos para resolver essa situação e que tais viaturas possam voltar à atividade com a maior brevidade possível.

“Com relação à necessidade da designação de novos policiais civis para Patrocínio o CCSPP busca se preparar com todas as informações necessárias já que por ocasião da visita ao Secretário de Estado da Segurança Pública e ao Delegado Chefe da Polícia Civil do Estado em Belo Horizonte ficou acertado uma reunião em Patrocínio com tais autoridades”, explica o presidente do Conselho Valdir Ferreira Neves.

Essa reunião deverá acontecer nos próximos dias. “Sendo assim precisamos de uma boa preparação e do conhecimento real das dificuldades para falar com mais propriedade àqueles que podem nos ajudar”, concluiu.

(André Luiz Costa / Comunicação CCSPP)

 

O CCSPP realiza mais uma importante reunião de diretoria nesta quinta-feira (03/05) no período da noite.

Pauta:

- Traçar um Plano de Trabalho para o ano de 2018;

- Exposição sobre o andamento de projetos da Coordenadoria e Rural;

- Outros assuntos que sejam de interesse da Segurança Pública local.

A reunião será na sede do Conselho.

 

Presidente do CCSPP esteve na reunião que aconteceu na última semana em BH; entre as demandas estão mais efetivo para as polícias, viaturas, computadores, apoio à implantação do videomonitoramento e construção de sede da delegacia regional

ReuniaoBH 05
Comitiva de Patrocínio junto às autoridades, entre elas, o secretário de Segurança Pública de MG

Na manhã da última quinta-feira (26/04) uma comitiva de Patrocínio, liderada pelo secretário municipal de Segurança, Trânsito e Transportes Alcides Dornelas, acompanhado pelo presidente do Conselho Comunitário de Segurança Preventiva (CCSPP) Valdir Ferreira Neves, do presidente da ACIP Aldo Roriz, do produtor rural Marcelo Queiroz representando a Expocaccer, do diretor de segurança da Penitenciária de Patrocínio Sidney Aparecido Rosa e da delegada sindical do Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária de Minas Gerais Heloisa Helena, estiveram em Belo Horizonte reivindicando melhorias para a segurança pública de Patrocínio.

A comitiva foi recebida no gabinete do secretário de Estado da Segurança Pública de Minas Gerais Dr. Sérgio Barboza Menezes, no prédio Minas da Cidade Administrativa da capital, onde também se faziam presentes e participaram da reunião o chefe geral da Polícia Civil de Minas Gerais Dr. João Octacílio, o representante do Estado para Assuntos Penitenciários Dr. Marcelo, o assessor de Articulação Interinstitucional da PM Coronel Webster Souza e o deputado estadual Durval Ângelo.

A comitiva patrocinense fez uma exposição detalhada dos vários problemas vividos atualmente por Patrocínio com relação às questões da segurança pública, destacando os problemas com as frotas de viaturas das polícias Civil e Militar, em todas as suas áreas e divisões internas de atuações, além da falta de efetivo na PM com o número de pessoal bem abaixo do recomendado para o seu bom funcionamento.

Um dos objetivos principais foi sensibilizar as autoridades sobre a urgente necessidade de uma atenção especial para a reestruturação de pessoal da Polícia Civil em Patrocínio. O discurso nem precisou de ensaio: “Precisamos de mais investigadores, de escrivães e de delegados. Também precisamos de novos computadores e demais equipamentos para o bom desempenho das atividades da polícia investigativa”.

Para a Polícia Ambiental e para a Polícia Rodoviária o CCSPP também registrou junto ao Secretário de Estado o pedido de um computador e um notebook para cada uma das unidades, já que se trata de uma demanda apresentada ao Conselho pelo comando das corporações.

A comitiva ainda registrou a necessidade do Estado em auxiliar na implantação das câmeras de videomonitoramento no município, bem como, na construção de uma sede para a 2ª Delegacia Regional da Polícia Civil de Patrocínio.

ReuniaoBH 01
Valdir, Aldo, Alcides, Marcelo e Heloísa: comitiva patrocinense em BH

Houve a promessa das autoridades estaduais de que todas as questões apresentadas estarão sendo avaliadas nos próximos dias objetivando resolver com maior urgência os problemas mais emergenciais apresentados. Assim, a comitiva julgou extremamente positiva essa reunião.

Com relação à recomposição de pessoal da Polícia Civil e da Polícia Militar a promessa é a de que nas próximas formaturas pelas academias da PC e PM, Patrocínio será contemplada com a designação de novos policiais.

O Presidente do CCSPP Valdir Neves disse ter sido uma reunião bastante produtiva na medida em que foram ouvidos por várias autoridades do Estado com poder de decisão. “O secretário de Segurança de MG e demais autoridades se mostraram visivelmente sensibilizados com a nossa situação (carência de pessoal e de viaturas) e prometeram uma avaliação de toda a situação e buscar soluções aos problemas apresentados”, disse.

“Assim, continuaremos acompanhando a evolução dos acontecimentos e cobrando do Estado as melhorias no sistema de segurança pública de Patrocínio para melhorar os nossos resultados no enfrentamento da violência e da criminalidade”, finalizou.

ReuniaoBH 02

 

ReuniaoBH 03

ReuniaoBH 04

(André Luiz Costa / Comunicação CCSPP)

 

19042018-NOTICIA-PADRAO-EVENTOSO Conselho Comunitário de Segurança Pública de Patrocínio completa seu 22º aniversário e através de parceria com o 46º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR, apoio da PREFEITURA MUNICIPAL DE PATROCÍNIO, DEVASSA, STUDIO MOVE, GRAFICA REAL E GAZETA, JULINHO PINTURAS e SINDICATO RURAL DE PATROCÍNIO e patrocinado pelas empresas:

  • MC Miaki Coffee Group
  • BIO VIDA
  • Cultura Agronegocios
  • HT Calçados
  • SICCOB COOPACREDI
  • PATROFERRO
  • On Net
  • Madereira MAD SUL
  • Jet SEG
  • Bom negócio
  • Grupo LIDON
  • Sementes Campolina
  • GETSÊMANI Haras
  • Grupo SF Agro
  • Expresso Dalva Eirele
  • SuperLider
  • Boa Vista Auto Center

estará realizando alguns eventos comemorativos.


São eles: 

- Porco no rolete com moda de viola – sem fins lucrativos

- Campanha de donativos com participação de toda a sociedade e empresas. Os alimentos arrecadados comtemplaram várias famílias carentes da cidade, da Zona Rural e também entidades.

- Stand UP – Com participação de comediante renomado

 

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO EM DETALHES

 

20/04
Culto, no auditório do batalhão, às 19h30min


25/04

Missa, na igreja da Matriz, às 19h


27/04 

Sexta-feira, as 19h00min - Stand UpComedy

Stand Up com o humorista Geraldo Magela – “Ceguinho é a mãe”. Será realizado na Arena Cerrado Parque de Exposições, ingressos a R$ 20,00. Teremos brinquedos para crianças e porções e bebidas sendo vendidas a parte pelo Peixe na Telha, a custos acessíveis.Show com a banda JBlack, Venda de ingressos no CCSPP, Rua Martins Mundim, 606, bairro Centro em Patrocínio e HT calçados.


29/04
Domingo, as 12:00hs– Porco no Rolete com moda de Viola

Será realizado na Arena do Cerrado, Parque de Exposições. Evento sem fins lucrativos sendo vendido ingressos a R$ 20,00 somente para custeio das despesas. O Show fica por conta da Dupla Cláudio Souza e Adriano. Teremos brinquedos para crianças e bebidas sendo vendidas a parte pelo Peixe na Telha, a custos acessíveis.Venda de ingressos no CCSPP, Rua Martins Mundim, 606, bairro Centro em Patrocínio e HT calçados.


05/05

Sábado, as 16:00hs – Encerramento da Campanha de Donativos na Praça da Matriz – “Todos nós juntos podemos”

A Campanha de Donativos será realizada nos meses de março e abril fomentando a comunidade a realizar doações de alimentos não perecíveis que serão depositados em pontos de coleta de empresas colaboradoras. O material arrecadado será destinado a entidade beneficentes e a famílias indicadas pela Secretaria de Desenvolvimento Social.

Dentro da Campanha de Donativos será realizada no Patrocínio Tênis Clube (PTC), uma Seresta, no dia 12 de abril, as 21 horas,cujo ingresso será 1 litro de óleo, que posteriormente será revertido em cestas básicas. O espaço e a apresentação musical foram cedidos ser qualquer custo. Os ingressos podem ser trocados com antecedência na Secretaria do Clube, no CCSPP de Patrocínio ou no Supermercado São Judas que fica na Av. Presidente Vargas, 2677.

Pontos de coleta são:

- CCSPP, Rua Martins Mundim, 606, bairro Centro

- 46º Batalhão de Polícia Militar, Av. Marciano Pires, 895, bairro Industrial

- Supermercado Bernardão (Bairros Morada Nova e Centro)

- Supermercado Barbosão

- Supermercado Roda Viva

- Supermercado Bretas

- Supermercado Mart Minas

- PTC – Patrocínio tênis Clube

- CONSEP

- SICOOB Copacredi

 
Os ingressos para os eventos podem ser adquiridos no CCSPP, Rua Martins Mundim, 606, Centro ou HT Calçados na av. Rui Barbosa. Mais informações pelo nº 3831-6264. 

 
(André Luiz Costa / Comunicação CCSPP)

 

 

 


A inauguração aconteceu nesta terça-feira e a Defensoria passa a funcionar à Rua Presidente Vargas

A Defensoria Pública de Patrocínio está em novo endereço, à Rua Presidente Vargas próximo Praça Honorato Borges, e a inauguração da nova sede aconteceu na tarde desta terça-feira (17/04). O Conselho Comunitário de Segurança Preventivo esteve representado na solenidade.

Com espaço mais amplo e salas individuais, oferece maior privacidade para o atendimento dos assistidos e estrutura mais adequada para o trabalho dos defensores públicos, servidores e estagiários.

A cerimônia contou com a participação da Defensora Pública Geral do Estado de Minas Gerais, Dra. Christiane Neves Procópio Malard, do Coordenador Local da Defensoria Pública, Dr. José Luiz Galdino Filho, do Procurador do Município, Dr. Anderson Aprígio Cunha Souza, representando o Prefeito Deiró Marra, do Presidente da Câmara Municipal, Vereador Thiago Malagoli, do Diretor do Fórum de Patrocínio, Dr. Pedro Marcos Begatti, do Coordenador das Promotorias da Comarca de Patrocínio, Dr. Aloísio Cunha Soares Júnior, dentre outras autoridades civis e militares de Patrocínio e região.

DSC 0291

DSC 0297

 

Solucionar demandas

Em um depoimento emocionado, o Coordenador Local da Defensoria Pública, Dr. José Luiz Galdino Filho falou sobre a acolhida que recebeu em Patrocínio e agradeceu a dedicação de cada servidor na busca de solucionar as demandas e proporcionar dignidade aos cidadãos.

A Defensora Geral, Dra. Christiane Malard, em seu discurso expôs a preocupação em melhorar o atendimento da Defensoria Pública em Patrocínio, que por muitos anos funcionou no prédio do Fórum. “Assim que chegou ao nosso conhecimento a necessidade de ampliação da Defensoria de Patrocínio, não medimos esforços para colocar essa demanda em nosso orçamento, e hoje estamos aqui realizando esse sonho que beneficiará tantas pessoas” afirmou a Defensora Geral, que agradeceu ao trabalho de cada servidor e de todos os parceiros que prestigiaram o evento.

DSC 0299

DSC 0301

DSC 0302

DSC 0303

DSC 0304

DSC 0306

 

DPMG

A Defensoria Pública é a instituição pública responsável por prestar assistência jurídica integral e gratuita aos cidadãos vulneráveis; além de promover a solução extrajudicial de conflitos, educação em direitos e conscientização da população sobre direitos humanos, cidadania e ordenamento jurídico.

 

(André Luiz Costa | Comunicação CCSPP com informações da ASCOM/PMP e ASCOM/DPMG)

Comitiva patrocinense esteve na última semana na cidade sendo recepcionada pela presidente do CONSER e visitando o Sindicato Rural

Visita 03
Gianny Reis, Osvaldo Nunin, 
o militar que presta atendimento em posto militar dentro do Sindicato Rural de Uberaba, Patrícia Santa Fé e Valdir das Neves

Seguir exemplos com resultados práticos positivos é uma atitude inteligente na área da segurança pública. Pensando assim duas entidades de Patrocínio estiveram juntas numa visita à cidade de Uberaba na última quinta-feira (12/04) em busca de soluções para nossa realidade.

O presidente do Conselho Comunitário de Segurança Preventiva de Patrocínio (CCSPP) Valdir Ferreira das Neves, o coordenador rural do Conselho Osvaldo Aparecido Ninin (cafeicultor e também diretor da ACARPA e Sindicato Rural de Patrocínio) e a assessora de marketing da ACARPA Gianny Porto Reis foram recebidos por Patrícia Santa Fe, presidente do Conselho Comunitário de Segurança Rural de Uberaba (CONSER).

Foi uma grande oportunidade de conhecer o trabalho feito pelo CONSER para a área rural uberabense. A comitiva de Patrocínio foi recebida no Sindicato Rural de Uberaba, onde fica o CONSER e onde está instalada a Área de Segurança Pública (AISP Rural), e conheceu o sistema de câmeras que estão sendo colocadas por uma empresa nas principais vias da zona rural do município. Estas câmeras fazem a leitura de placas dos carros que passam por estas estradas.

Ajuda dos moradores das áreas rurais

Porém, o ponto forte é a participação e a ajuda dos fazendeiros e dos moradores da zona rural que informam à polícia qualquer movimentação diferente do cotidiano, ajudando na prevenção ou elucidação de crimes.

O presidente do CCSPP argumenta que a entidade tem trabalhado na busca de soluções para questões da violência em Patrocínio, com uma grande preocupação na zona rural. “Precisamos continuar nos organizando, buscando e acertando estratégias que possam contribuir para melhorar a segurança de todos”, diz Valdir das Neves.

Ao final da visita Osvaldo Ninin presenteou Patrícia Santa Fe com um kit do Café do Cerrado da Expocaccer/Dulcerrado e elogiou a receptividade e o repasse de importantes informações para a comitiva de Patrocínio.

Visita 01

Visita 02

Visita 04

Visita 05

Visita 06


(André Luiz Costa | Comunicação CCSPP / Fotos: Gianny Reis e Valdir das Neves)

 

Você pode entrar em contato conosco pelo e-mail:

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.">

 

obama.jpg  Os presidentes Barack Obama, dos Estados Unidos, e Xi Jinping, da China, assinaram nesta quarta-feira (12) em Pequim um acordo para a luta contra a mudança climática, que incluirá reduções de suas emissões de gases do efeito estufa na atmosfera.
A iniciativa constitui o primeiro anúncio de corte das emissões de gases poluentes por parte da China e mais um pelos EUA.
Pelo acordo, os EUA pretendem cortar entre 26% e 28% as emissões de gases em até 11 anos, ou seja, até 2025, o que representa um número duas vezes maior que as reduções previstas entre 2005 e 2020.
Os chineses se comprometem a cortar as emissões até 2030, embora possa começar antes. Segundo presidente chinês, até lá 20% da energia produzida no país vai ter origem em fontes limpas e renováveis.
O acordo, que foi negociado durante meses pelos dois países, pretende promover um pacto em nível global, visando a Conferência sobre Mudança Climática que acontecerá em Paris no ano que vem.

Xi Jinping e Obama fizeram o anúncio durante uma entrevista coletiva após dois dias de reuniões, na qual repassaram todos os níveis de sua relação, com o acordo sobre mudança climática como principal resultado tangível.
Trata-se de um "acordo histórico", destacou Obama, que acrescentou que o objetivo dos EUA é "ambicioso, mas alcançável". Além disso, o chefe de estado americano comentou que o pacto é "um marco importante" nas relações entre Washington e Pequim.
O presidente da China, por sua vez, destacou que os dois países empreenderam "um novo modelo" para as relações entre potências e comemorou o nível de entendimento entre os dois governos.
Estados Unidos e China representam juntos 45% das emissões planetárias de CO2, um dos gases apontado como culpado pela mudança climática. A União Europeia representa 11%. No mês passado, o bloco se comprometeu a reduzir em pelo menos 40% as emissões até 2030, na comparação com os níveis de 1990.
Nas negociações sobre o clima, a China defende em nome do desenvolvimento econômico que os países mais desenvolvidos devem reduzir de maneira mais expressiva suas emissões.
Os republicanos, majoritários no Congresso dos Estados Unidos, não demoraram a manifestar dúvidas. Pouco depois do anúncio em Pequim, o líder do Partido Republicano no Senado, Mitch McConnell, chamou o plano de "pouco realista". "Este é um plano pouco realista, que o presidente quer deixar para o sucessor", disse McConnell. Para o republicano, o plano afetará a criação de novos postos de trabalho e o custo da energia.
Esse foi um dos acordos estabelecidos entre os dois presidentes em um encontro bilateral em Pequim, durante o Fórum de Cooperação Econômica da Ásia pacífico (Apec). Os dois países também vão estreitar as relações entre as forças armadas, aumentar o combate ao terrorismo e incrementar estratégias para ajudar no combate à epidemia de ebola na África Ocidental.

 

(Fonte: g1.globo.com)

imagem.jpg  A Rede de Comércios Protegidos da Avenida Washington Barcelos, no Bairro Urciano Lemos, em Araxá, Alto Paranaíba, foi lançada na semana passada. O projeto é idealizado pela Polícia Militar (PM) e conta com a participação de comerciantes da região. A iniciativa começou a ser desenvolvida há três meses, junto com a inauguração da Base Comunitária.
De acordo com o capitão Reginaldo Correa Silva, o objetivo é disseminar a segurança pública, por meio de vínculos entre os interessados. Para isso, são realizadas reuniões nas quais os comerciantes que participam da rede devem estar presentes. “A rede acontece em uma região específica. Para fazer parte é necessário que os comerciantes participem das reuniões e tenham uma frequência nesses encontros para poder adquirir a placa do projeto. Caso comece a faltar nos encontros, o empresário pode perder a placa”, explicou.
Segundo ele, cerca de 70 comerciantes participaram da reunião, porém a rede é feita em pequenos núcleos, aproximadamente nove empresas. "Um grupo no WhatsApp foi feito onde os comerciante se comunicam e trocam informações sobre acontecimentos suspeitos na região”, detalhou.

Além do atendimento na segurança pública, a PM também auxilia os comerciantes para situações específicas. "A questão de segurança no estabelecimento também está relacionada, por exemplo, ao posicionamento do caixa. Ajudamos na escolha da localização e também explicamos os cuidados que devem ser tomados no momento de fechar o comércio. Em realação às câmeras de segurança, vários comerciantes possuem, porém elas eram usadas apenas para interesse próprio, agora o uso é em comum. Filma a própria loja e a loja dos vizinhos. Assim fica mais fácil para a polícia chegar até os suspeitos", disse.
Resultados
A farmácia de Gildo José Ferreira já foi assaltada sete vezes. Depois que o empresário aderiu à iniciativa, nenhum crime foi registrado. “Não era apenas o dinheiro, mas também a tensão que ficava no ambiente. O medo de a qualquer momento alguém entrar na loja com uma arma e anunciar o assalto. Em uma das vezes, um criminoso chegou a atirar dentro do estabelecimento”, comentou.

O problema que se tornou frequente começou a atrapalhar na contratação de funcionários. “Perdi uma funcionária que tinha medo de trabalhar aqui e estava difícil encontrar pessoas para fazer o plantão do fim de semana. Agora, com três meses desse projeto, o clima está mais tranquilo e as coisas estão se encaixando novamente”, disse.
O vizinho de Gildo, o empresário Lucas Guimarães, nunca foi assaltado, porém já viu resultados com a iniciativa. “Em uma ocasião recebi uma mensagem no celular dizendo que tinha uma pessoa com atitude suspeita entrando nas lojas da rua. Acionamos a polícia e realmente era um indivíduo perigoso com uma ficha criminal extensa”, comentou.
Ele lembra que na última semana, um ex detento estava realizando pequenos furtos em lojas. “Foi através da nossa comunicação que os militares chegaram até ele e conseguiram prendê-lo antes de nos trazer transtornos”, afirmou.

 

(Fonte: g1.globo.com)

2014-749624798-2014-749499636-2014090738726.jpg_20140907.jpg_20140908.jpg  SÃO PAULO - No final de 2011, Wagner Dornelles Pereira, então com 29 anos, recebeu uma proposta para mudar de emprego. Mesmo ainda cursando a faculdade de Administração de Empresas, teria a oportunidade de trabalhar em uma função de destaque na área de logística de uma rede de locadora de veículos. Antes de começar no novo emprego, em Porto Alegre, resolveu descansar uns dias na Guarda do Embaú, no litoral catarinense. Na noite de 29 de dezembro daquele ano, porém, ao deixar um bar do balneário, foi surpreendido por um tiroteio. Uma bala perdida o atingiu na cabeça. O rapaz sobreviveu, mas perdeu os movimentos do corpo e a fala.

A tragédia levou o pai de Wagner a parar de trabalhar para cuidar do filho, e hoje a família se mantém com a ajuda de rifas e doações. O caso ilustra como a epidemia de violência no país produz também impactos financeiros. O Anuário Brasileiro de Segurança Pública, que será lançado na próxima terça-feira, mostrará que o problema custa para o Brasil o equivalente a 5,4% do Produto Interno Produto (PIB). No ano de 2013, o montante atingiu R$ 258 bilhões. A maior parte deste valor, R$ 114 bilhões, é resultado justamente da perda de capital humano.


— As pessoas vítimas da violência, em geral, morrem de forma prematura, e deixam de produzir e de consumir. É claro que a vida não tem preço, mas, do ponto de vista econômico, há uma perda. É uma tragédia humana e econômica - afirma o economista Daniel Cerqueira, diretor do Instituto de Pesquisas Econômicas (Ipea) e responsável pelo cálculo.

É a primeira vez que o anuário elaborado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública inclui dados sobre os custos da violência. A comparação com outros países é complicada, segundo Cerqueira, porque há diferença no método de cálculo.

— Mas o Brasil é certamente um dos países em que a violência tem um dos maiores custos, porque é um dos mais violentos do mundo, principalmente se for levado em consideração o número de homicídios — diz o economista.

Para o sociólogo Renato Sérgio de Lima, vice-presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o custo da violência é um entrave para o desenvolvimento do país e acaba tirando dinheiro de outras áreas.

— Desta forma, o Brasil dificilmente vai atingir níveis civilizados de desenvolvimento. O custo da violência no Brasil seria pesado para qualquer país, e tira dinheiro que deveria ser investido em áreas mais centrais, como saúde e educação.

PREJUÍZO PARA AS FAMÍLIAS

Lima ressalta que os parentes das vítimas, além da lidar com a perda, são gravemente prejudicados financeiramente.

— A famílias acabam sendo punidas porque sofrem com a queda das condições de vida — afirma o sociólogo.

No caso de Wagner Dornelles, as dificuldades persistem três anos depois da tragédia. Impedido de trabalhar, o rapaz recebe um seguro de R$ 1.800, segundo sua mãe, Fátima. Quando foi atingido pela bala perdida, ele tinha um salário de cerca de R$ 4 mil, em valores da época. O pai deixou a microempresa de cortinas que possuía porque a mãe não consegue movimentar o filho dentro de casa.

— Ele é um rapaz grande e forte. Somos uma família destruída, e o pior é que os responsáveis por este crime estão soltos — desabafa a mãe.

Além dos R$ 114 bilhões gerados pela perda de capital humano, entram na conta dos custos da violência R$ 39 milhões de gastos com contratação de serviços de segurança privada, R$ 36 bilhões com seguros contra roubos e furtos e R$ 3 bilhões com o sistema público de saúde. A soma destas despesas, que chegou a R$ 192 bilhões em 2013, ou 3,97% do PIB, é classificada no estudo como “custo social da violência”. O valor pode ser ainda maior, porque os gastos com pessoas que ficam inválidas em razão da violência, por exemplo, não entraram no cálculo.

— Quem mora numa cidade onde há muitos roubos de carros tem o custo econômico de pagar um seguro — observa Daniel Cerqueira. — Este tipo de gasto faz parte do impacto provocado pela violência e pela criminalidade.

INVESTIMENTO MAL ADMINISTRADO

Completam os custos da violência no país os R$ 4,9 bilhões para manter as prisões e unidades de cumprimento de medidas socioeducativas e os investimentos governamentais de R$ 61,1 bilhões em segurança pública. Na avaliação dos responsáveis pela elaboração do anuário, o último número é uma prova de que o problema da área não é falta de recursos, e sim seu mau uso.

Em 2013, o investimento público em segurança cresceu 8,65% (patamar superior ao aumento da inflação e ao crescimento da economia) em relação ao ano anterior. O gasto dos governos federal, estaduais e municipais com o setor no ano passado representou 1,26% do PIB. Os Estados Unidos gastam 1% e a União Europeia, 1,3%. Mas, enquanto o Brasil teve 24,8 homicídios por grupo de 100 mil habitantes no ano passado, os Estados Unidos registram uma taxa de 4,7 e a União Europeia, de 1,1. O Chile, país da América Latina como o Brasil, destina um valor equivalente a 0,8% de seu PIB para a segurança pública e registra apenas 1,1 assassinato por grupo de 100 mil habitantes.

— O gasto público do nosso país é muito parecido com o dos países desenvolvidos. Isso mostra que o montante reservado pelos governos para segurança pública não é suficiente para dar conta de nossa mazela, mas está longe de ser pouco dinheiro. O problema está na forma ineficiente como o dinheiro é gasto — analisa Renato Sérgio de Lima.

Na visão do especialista, o caminho correto para obter resultados com a redução dos índices de criminalidade seria os estados investirem em ações coordenadas com órgãos como o Ministério Público e entre as próprias polícias Civil e Militar.

— A gente teria ganhos mais expressivos. São estas ações que acabam provocando mais impacto — afirma.

Já o economista Daniel Cerqueira acredita que o problema do investimento público em segurança pública no Brasil é a descontinuidade dos projetos.

— Isso ocorre por razões políticas. O novo governo, por achar que o anterior tem uma marca forte na área, descontinua programas, sem avaliar se estão dando certo ou não.

Para o diretor do Ipea, diante do custo social da violência, de R$ 192 bilhões, seria aceitável um investimento público que chegasse a R$ 150 bilhões:

— Se isso resolvesse o problema, geraria bem-estar. Mas gastar mais não garante em nada que se vá resolvê-lo. Nosso sistema de segurança pública de modo geral está falido. Acredito que é preciso gastar mais, mas não de qualquer forma. Não fazendo mais do mesmo.

Entre os estados, São Paulo foi o que mais investiu em segurança pública em 2013: R$ 9,27 bilhões. O valor é, inclusive, 12,11% superior aos gastos do governo federal com a área naquele ano, que foram de R$ 8,27 bilhões. Tanto o governo paulista como a União elevaram o investimento em relação ao ano anterior.

ACRE GASTA MAIS POR HABITANTE

Mas, se for considerada a população, o estado que mais investiu no setor foi o Acre, com R$ 486 por habitante. São Paulo gastou apenas R$ 212 per capita. Rondônia foi o segundo em despesa per capita, com R$ 476; e o Rio, o terceiro, com R$ 429. O Rio também foi um dos estados que mais aumentaram o gasto na área: 24,75%. O montante total investido passou de R$ 5,64 bilhões para R$ 7,03 bilhões, consolidando o estado em segundo no ranking dos que mais destinaram dinheiro para a segurança pública em valores absolutos.

O Amapá e Roraima aceleraram os investimentos ainda mais do que o Rio, porém ainda estão em um patamar inferior de gasto. Com crescimento de 35,01%, o Amapá atingiu R$ 52,2 milhões, mas o valor per capita é de R$ 70, o segundo pior do país. E Roraima teve um aumento de 25,27% no investimento, colocando R$ 183,1 milhões na área e atingindo R$ 373 por habitante.

Na contramão, seis estados colocaram menos dinheiro no setor em 2013, em comparação com o ano anterior. São eles Ceará, Bahia, Sergipe, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte e Piauí - o que mais retirou recursos da segurança pública, com uma redução de 61,72%. O estado do Nordeste destinou R$ 94,5 milhões para a área no ano passado, tornando-se a menor unidade da federação em investimento per capita: apenas R$ 29,67.

Apesar de a segurança pública ser uma atribuição dos estados, de acordo com a Constituição, o anuário mostra que os municípios brasileiros investiram R$ 3,59 bilhões na área, valor inferior apenas a São Paulo, Rio e Minas. O gasto é 3,28% maior do que o do ano anterior.

(Fonte: oglobo.globo.com)



marliany_com_os_pais.jpg  Com desenhos criativos e bem coloridos 4.661 alunos do 6º ao 9º ano matriculados na rede educacional de Cacoal (RO), município a cerca de 480 quilômetros de Porto Velho, participaram do 4º Concurso de Desenhos e Frases com o tema a "Década de Ação Pela Segurança no Trânsito 2011-2020". Desse número, sete foram vencedores na modalidade desenho. As entregas das premiações tiveram início nesta semana e seguem até a sexta-feira (7).
Orgulhosos com o desempenho da filha, os pais de Marliany Lemos, de sete anos, fizeram questão de acompanhar a premiação da menina que estuda na Escola Daniel Berg. Ela fez o desenho de um carro parado no sinal vermelho. "Eu pensei no meu pai dirigindo e fiz o desenho. Eu acho que todo mundo precisa respeitar o trânsito e quando o carro para no sinal vermelho evita muitos acidentes", disse a garota.
Para a mãe de Marliany, a dona de casa Fernanda Lemos, de 35 anos, a premiação vale como incentivo para as crianças, que além de ganharem uma bicicleta nova, ainda cobram dos pais o que se aprende em sala de aula. "Trazer a educação de trânsito para a aula é excelente. A Marliany nos cobra quando estamos na direção do carro e tentamos sempre agir de acordo com a lei", afirmou Fernanda.
De acordo com a educadora de trânsito da Secretaria de Transporte e Trânsito de Cacoal Lucen Baine, o objetivo do concurso foi alcançado nas 14 escolas municipais e estaduais que participaram. "Percebemos o envolvimento das crianças que passaram a ter maior segurança no trânsito e nos deparamos com pais mais conscientes, que passaram a utilizar os equipamentos obrigatórios de segurança", garantiu Lucen.

 

(Fonte: g1.globo.com)

maconha.jpg  Washington DC - capital dos Estados Unidos - votou nesta terça-feira (4) pela legalização da maconha, uma vitória simbólica que reforça a tendência registrada em outros estados americanos.
A legalização da maconha na capital federal obteve 64,26% dos votos, contra 29,45% que rejeitaram o consumo recreativo da erva - limitado a 50 gramas - entre adultos maiores de 21 anos, a entrega (não a venda) de até 25 gramas, e o cultivo de no máximo três plantas em casa.
Em julho, a capital federal já havia descriminado parcialmente a posse da maconha, transformada em delito menor.
Washington DC se une agora aos estados do Colorado e Washington, situados no noroeste do país, que nas eleições de 2012 aprovaram a comercialização e a posse de pequenas quantidades de maconha para fins recreativos.

 

(Fonte: g1.globo.com)

bannerHome3.jpg  O Centro de Convenções SulAmérica, na Cidade Nova, Centro do Rio, recebe entre quarta-feira (5) e sexta (7) a RIOSEC, a Feira Nacional de Segurança Privada e Eletrônica. O evento mostrará ao público especializado e em geral as principais novidades no mercado de centrais de monitoramento, circuitos fechados, cofres, inteligência industrial e sistemas de identificação, citando apenas algumas das necessidades atendidas pelo setor.
De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança (Abese), o mercado de sistemas de segurança cresceu 10% em 2013, movimentando um montante de R$ 4,6 bilhões.
Denise Nuly, presidente do Sindicato de Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança do Rio de Janeiro (Siese-RJ), afirma que a expansão deste segmento se deve ao fato de as pessoas desejarem se sentir mais seguras, independente das políticas de segurança pública: “Mesmo com todas as ações do governo, como as UPPs, as pessoas querem monitorar os seus negócios e bens cada vez mais.”
Além disso, a presidente do Siese-RJ destaca a importância que o setor conquistou no Rio de Janeiro. “Uma feira voltada para este segmento é oportuna porque há uma parcela significativa de empresas e profissionais deste setor”
Smartphones e tablets contra a criminalidade
Denise destaca que a internet exerce papel fundamental no desenvolvimento e uso das tecnologias de segurança: “A principal tendência é a utilização de equipamentos com transmissão via internet. As pessoas podem visualizar do smartphone ou de um tablet o local segurado. Isso é latente.”
Um aplicativo voltado para a segurança pessoal e residencial promete ser um dos destaques do evento. Ele conta com um “botão de emergência”, que aciona pessoas cadastradas previamente em caso de perigo. Uma outra função emite um alerta caso o smartphone se afaste por mais de 100 metros do ponto vigiado. Além disso, é possível programar o aparelho para fazer um registro fotográfico de quem está o levando, caso seja removido sem permissão.
Entre as novidades que serão apresentadas, também está a biometria pelas linhas da palma da mão, que são únicas em cada pessoa e permitem a identificação de uma maneira mais higiênica, pois não necessita de contato com o equipamento.
Outra inovação é o uso de uma ampola, do tamanho de um pen drive, no combate a incêndios. O equipamento capta a energia do fogo e passa a refrigerar a área do incêndio. Pequenas quantidades de nitrogênio e gás carbônico são liberadas, impedindo o acesso do oxigênio à superfície em chamas.
Tótens de controle de estacionamento, semelhantes aos que existem em shoppings, também prometem ser aplicados na segurança de prédios residenciais, emitindo tíquetes e fazendo registros fotográficos dos carros dos visitantes.
Opções para todos os bolsos
Sobre o custo para se sentir seguro, a presidente do Siese-RJ informa que, apesar de parecer um luxo apenas para os mais ricos, o segmento oferece possibilidades para todos os bolsos: “O custo é proporcional a quantidade de tecnologia empregada. Há equipamentos para todos os orçamentos. Tudo depende do projeto e do objetivo.”

 

(Fonte g1.globo.com)

img_1701jpg1401559599.jpg  A partir do dia 1º de novembro, os motoristas que provocam situações de risco no trânsito vão sentir as consequências pesarem no bolso. Isso porque as multas terão reajuste de até 900%. É o caso da ultrapassagem perigosa, em que o motorista muitas vezes obriga o outro veículo a sair da pista para evitar um acidente, que vai saltar dos atuais R$ 191,54 para R$ 1.915,40. Esse valor corresponde, atualmente, ao mesmo para quem infringe a Lei Seca.  As ultrapassagens pelo acostamento, que atualmente rendem multa de R$ 127,69, terão o valor reajustado para R$ 957,70, um aumento de 650%.  Já as multas por ultrapassagens em lugar proibido, como em curvas, subidas e locais sem visibilidade, também vão passar a custar o mesmo valor, R$ 957,70. O aumento é de 400%, já que hoje a multa custa R$ 191,54. Aquele que for flagrado disputando “racha” também vai sentir o prejuízo. Isso porque o valor da multa passa de R$ 574,62 para R$ 1.915,40, um aumento de 233%. Estará sujeito a multa também quem promover as competições. Além de pagar por valores mais altos, os infratores ficarão sem poder dirigir por um ano, e em caso de reincidência nesse período, o preço das multas será dobrado. O objetivo das mudanças é reduzir a violência no trânsito. ULTRAPASSAGENS De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, as ultrapassagens perigosas são responsáveis por 5% dos acidentes nas rodovias, mas estão entre as principais causas de mortes (40% do total).  Um levantamento feito PRF do Paraná a pedido da Tribuna aponta que as infrações por ultrapassagem na BR-376, nos trechos Apucarana/Califórnia e Apucarana/Jandaia do Sul, tiveram um aumento de 30% do primeiro semestre de 2013 para o mesmo período de 2014. No ano passado, foram 929 autuações contra 1.201 neste ano. As infrações são registradas em rodovias com pista simples.  O presidente da Associação das Autoescolas de Apucarana, Rildo Galeriani, acredita que os condutores se arriscam em ultrapassagens perigosas, pois a maioria das rodovias por todo o país estão ultrapassadas. “As pistas são simples e não suportam a frota de veículos, que mais que triplicou nos últimos anos”. Ele ressalta que o aumento do valor das multas não é a solução para o trânsito. “Como não houve duplicação suficiente das rodovias, querem penalizar o condutor por uma deficiência do Estado. Além disso, toda lei, com o passar do tempo, acaba afrouxando a fiscalização, como ocorreu com a Lei Seca”, conclui.

 

(Fonte: tnonline.com)

força-nacional.jpg  A Força Nacional foi convocada pelo governo de Roraima para reforçar a segurança na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, localizada na zona Rural de Boa Vista, após a tentativa de fuga em massa que aconteceu na noite deste domingo (26). Segundo informações da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp), cerca de 30 policiais devem chegar ao estado na madrugada desta quarta-feira (29).
De acordo com a assessoria da Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania (Sejuc), os policiais foram convocados diante da iminente greve dos agentes carcerários e em virtude dos estragos causados pelos próprios presos na Penitenciária.
"Os policias vêm para garantir a segurança do presídio. Eles [presos] destruíram boa parte do prédio. Até que seja reconstruído o que eles destruíram, nós precisamos de reforço policial", afirmou a Secretaria. Entretanto, ainda conforme a Sejuc, a situação na instituição prisional já está controlada.
Entenda o caso
Os presos da Penitenciária Agrícola de Monte Cristo iniciaram um tumulto na noite deste domingo (26). Os detentos atearam fogo em seis compartimentos da unidade prisional e duas fugas foram confirmadas.

 

(Fonte: g1.globo)

chioro.jpg  O Ministério da Saúde anunciou nesta quinta-feira (30) que pretende vacinar 12,7 milhões de crianças contra paralisia infantil neste ano. O número corresponde a 95% do público-alvo, que é formado por crianças entre 6 meses e 5 anos. As aplicações ocorrem entre 8 e 28 de novembro.
A poliomielite é uma doença contagiosa que afeta principalmente crianças com menos de 5 anos. Ela pode causar paralisia em algumas horas e, em alguns casos, ser fatal. O Brasil não registra casos da doença há 25 anos.
De acordo com a pasta, serão distribuídas 17,8 milhões de doses da vacina em gotas para todas as unidades da federação. A recomendação, no entanto, é que as secretarias estaduais disponibilizem a imunização injetável para crianças que tenham mais de 6 meses e estejam com a vacinação atrasada.
Dados do ministério apontam que dez países registraram casos de poliomielite em 2013 e em 2014. Até 22 de outubro, foram 228 casos da doença, no Afeganistão, Nigéria e Paquistão.
"[Isso] coloca o mundo inteiro com a responsabilidade de fazer a proteção, porque a poliomielite não está erradicada no mundo. Pode ter família que pense que a criança não precisa tomar a vacina, mas com o mundo globalizado de hoje, de viagens e turismo, o mundo todo tem contato com o mundo hoje", explicou o secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa.

A pasta vai disponibilizar mais de 100 mil postos de vacinação em todo o Brasil. Além disso, serão feitas campanhas na televisão e no rádio, tendo o Zé Gotinhas como principal personagem. Os personagens infantis Peppa Pig e Minions também serão usados nas peças publicitárias.
Sarampo
No mesmo período da campanha contra a pólio, o ministério também vai vacinar crianças de 1 a 5 anos contra sarampo, caxumba e rubéola. Serão distribuídas 12,5 milhões de doses de tríplice-viral, e a meta é atingir 10,9 milhões de crianças.
O lançamento da campanha vai ser feito pelo ministro Arthur Chioro no Ceará, que neste ano registrou casos de sarampo. A doença, que tem febre alta, tosse, manchas avermelhadas, coriza e conjuntivite como principais sintomas, é transmitida por vírus e é altamente contagiosa.
Chioro afirmou que o objetivo é superar a meta de 95%. "Não tem outra alternativa para a gente que não seja a mobilização nacional e a intensificação da cobertura. Teremos um sábado, que é o dia 8 de novembro, como da mobilização mais intensificada, mas é importante deixar claro que manteremos os serviços todos em mobilização até 28."
O ministro destacou a importância de seguir o calendário vacinal, já que há casos de crianças que não se imunizaram com doses anteriores. Neste ano, foram registrados 154.637 casos de sarampo em 175 países.

 

(Fonte: g1.globo)

print.png  Filmado e realizado pela ONG Hollaback, experimento exemplifica as intimidações sofridas por mulheres nas ruas

Uma caminhada de dez horas pelas ruas de Nova York e mais de cem assédios verbais durante o passeio. Esse foi o resultado de um experimento realizado pela Hollaback, uma ONG americana que tem como objetivo inibir os casos de intimidação e assédio verbal sofridos por mulheres nas ruas.

No experimento, realizado em agosto, a modelo Shoshana B. Roberts caminhou pelas ruas de Manhattan por cerca de dez horas, vestida com uma calça jeans e uma blusa sem decote, enquanto o diretor Rob Bliss — que sugeriu a experiência à ONG — caminhava à sua frente, com uma câmera escondida em sua mochila.

O registro foi então compilado em um vídeo de quase 2 minutos, mostrando algumas das situações de assédio enfrentadas por Roberts durante o passeio.

Em um determinado momento do vídeo, um homem passa a caminhar ao lado de Roberts por cerca de cinco minutos ininterruptos.

Assista ao vídeo.

http://youtu.be/b1XGPvbWn0A


“Mais de cem situações de assédio verbal nas ruas aconteceram dentro das dez horas, envolvendo pessoas de todas as origens. Isso não inclui as incontáveis piscadas, assovios etc”, afirmou a ONG ao final do vídeo.

No site da Hollaback (em inglês) é possível encontrar redes de apoio e orientações para mulheres sobre como lidar com o assédio e a intimidação verbal nas ruas.

 

(Fonte: oglobo.com)

Pagina 1 de 16